1/23/14

Ouvindo o inconsciente, presenciando transformações

Enquanto fazia a sua caminhada rotineira ele percebeu um amontoado de gente na esquina do parque. O circo estava armado. Corpo de bombeiro, polícia, curiosos... ah, como havia curiosos! No centro da roda, uma pessoa deitada, um pouco de sangue em volta... e ele pensou: o que essas pessoas estão fazendo aí? Elas não podem estar preocupadas em ajudar. Elas parecem estar preocupadas apenas interessadas em satisfazer as próprias curiosidades. E ficou bravo com todos ali. 

Um pouco à frente, ele fez um esforço introspectivo adicional e percebeu que também queria estar lá satisfazendo suas curiosidades, ele também gostava de "novidades". Mas aquelas pessoas pareciam mais estar dando vazão às suas expressões de pena e medo.

Após ganhar consciência desses sentimentos, o garoto iniciou uma viagem interior em busca de outros personagens internos que também tinham interesse em discutir sentimentos relacionados àquele episódio. Nessa viagem, ele chegou a uma caverna e, dentro dala, morava uma pessoa que parecia ter mais de 1000 anos de idade. A caverna era escura e nada em volta parecia ser convidativo. Como se aquele morador realmente não quisesse receber ninguém.

Ainda assim, ele entrou na caverna e, estranhamente, não sentia medo. Ele estava apreensivo sim, mas aquele sentimento, definitivamente, não era medo. Dentro da caverna, o morador estava de costas para a entrada como quem presta atenção no que fervia dentro do seu caldeirão.

E o rapaz disse um "oi" que soou tão revigorante e intenso no coração do mago que o fez viajar por instantes dando a sensação de ter voltado pra casa como quando seu pai chegava de intermináveis viagens de trabalho. E o mago sorriu com tanta ternura que parecia abraçar o garoto.

O visitante disparou sua metralhadora giratório de perguntas:
- Como faço pra ganhar bastante dinheiro em 2014.
- Use a metodologia 80/20.

- Como faço para ser feliz?
- Viva um dia de cada vez. 

- Como faço para dormir bem?
- Isso você tem que falar com outro personagem...

E o garoto, como que em um passe de mágica, se vê em um outro lugar, na presença de alguém muito gordo, feio e arrogante; além de tudo, essa pessoa estava nua e era debochada.

O garoto mal havia chegado e já foi logo ouvindo provocações:
- Até que enfim você vem à minha presença. Você sabe que, durante todo esse tempo, sou eu que tenho proporcionado o pouco que a sua existência rastejante pode entender de prazer? Essa sua ignorância misturada com incompetência e arrogância realmente me tiram do sério! Quando é que você vai perceber que sou eu que crio tudo o que mantem essa sua vidinha desprezível?

E o garoto ficou um tempinho refletindo sobre aquelas ofensas gratuitas. Aquilo não parecia mentira mas, se verdade, como pode acontecer durante tanto tempo sem que ele tivesse qualquer indício a respeito?

O garoto resolveu perguntar: E o que eu posso fazer para melhorar?

- Primeiro, eu gostaria de participar dos churrascos que você vai mas não quero ser  o motivo de sua vergonha. Não quero ficar no canto do churrasco enquanto as pessoas falarem de mim às minhas costas. Prefiro ficar  aqui a passar por essa humilhação.

- Faz sentido, mas o que te faz pensar que as pessoas te tratariam dessa forma? 
- Porque é isso que eu faria se fosse magro, saudável, rico e bonito e encontrasse um gordo, feio, pobre e nu em um churrasco.

- Ok, como você chegou à sua forma atual? Eu sempre imaginei que você podesse assumir outra forma quando quisesse. Essa é uma das vantagens de ser um personagem psicológico interno. Não é mesmo?
- Verdade. Eu não tinha pensado nisso... 

E o gordo foi para atrás de um biombo como quem entra em um provador de roupas de uma grande loja e foi trocando de forma como se fosse fácil... após passar por várias formas diferentes (celebridades, personagens históricos, seres extra-terrestres e personagens de filmes e novelas) ele disse: 
- Acho que encontrei a forma ideal!
- E como é?
- Igual a você!

O garoto fechou os olhos chorou... quando abriu os olhos, estava novamente em frente ao mago da caverna que disse:
- Fique tranquilo, você vai dormir em paz agora.

Veja também:

1 comment:

  1. Interessantíssimo e diferente artigo!

    ReplyDelete